Pistas para saber se os seus travões funcionam bem

Pistas para saber se os seus travões funcionam bem

Fevereiro - 2018

A Total explica-lhe porque é que não deve descuidar o óleo dos travões.

Com certeza que não é necessário que lhe digamos que os travões do seu veículo são um elemento de segurança vital. Por isso, deve-se familiarizar com este sistema, dado que isso é fundamental para se manter vivo e em bom estado. Acontece exatamente o mesmo com o seu automóvel.

Neste sistema de segurança do veículo, o óleo dos travões é uma parte fundamental. No entanto, muitos condutores esquecem-no, inclusive os que efetuam a revisão do nível do óleo do motor, do da transmissão e da pressão dos pneus de forma regular.

O que deve saber é que o óleo dos travões desempenha uma das funções mais importantes no veículo. Com efeito, está encarregado de transmitir a pressão do seu pé no pedal do travão ao cilindro mestre e também às pinças que fixam as pastilhas de travão e param as rodas, se o automóvel tiver travões de disco. Resumindo: sem óleo dos travões, não há travões.


Problemas nos travões

As falhas dos travões podem-se dever a muitos e variados fatores: uma manutenção pouco frequente ou inadequada, baixos níveis de óleo dos travões e pastilhas dos travões gastas, um dano não detetado por causa desconhecida e o desgaste por condições externas como, por exemplo, o pó dos caminhos ou o sal em ambientes marinhos.

Além disso, se o seu automóvel tiver arrastado um reboque pesado que não tenha travões, os do seu veículo poderão ter ficado afetados, dado que se poderão sobreaquecer e, portanto, sofrer um desgaste acelerado.


Como é que posso saber se os meus travões estão a funcionar devidamente?

Em primeiro lugar, deve-se manter atento a uma série de sinais que poderão surgir no seu automóvel. Se notar que tem qualquer um dos problemas seguintes, é chegada a hora de o levar à revisão:

Ruídos estranhos: se quando aciona ligeiramente o travão ouve um silvo, convém que leve o automóvel à oficina logo que possa. Se, além disso, o ruído for semelhante ao que é emitido por algo que esteja a ser moído, o sintoma é particularmente grave, dado que se pode dever ao facto de as pastilhas estarem gastas e a pinça do travão estar a entrar em contacto com o disco, o que poderia destruí-lo.

Este ruído também pode indicar falta de lubrificação se o seu automóvel tiver travões de tambor traseiro. A sapata do travão, que é o componente que pressiona o rotor para parar o veículo, poderá estar a ser raspada pelo contacto com o metal dos componentes do travão.

Movimentos ou sensações irregulares: se quando circula, ao ativar os travões sentir que o automóvel puxa para um dos lados, isso pode significar que os travões não estão bem regulados, que há uma fuga do óleo dos travões em algum ponto do circuito ou que os componentes deste sistema estão gastos e necessitam de ser substituídos. Atenção: tudo isto pode provocar a perda do controlo do veículo.

Em alguns casos, se notar que o pedal de travão desce mais do que o normal, ou que este vibra ou que nota uma diferença na sua resistência ao carregá-lo como, por exemplo, uma sensação esponjosa, é muito possível que tenham entrado ar ou humidade no sistema de travagem. Também pode acontecer que o nível de óleo dos travões esteja baixo e, por isso, seja provocada essa sensação no pedal.

Se notar vibrações no volante, estas também se podem dever a um disco de travões irregular. Quando pressiona o pedal de travão, as pastilhas abraçam os rotores, diminuindo a velocidade do seu veículo. Por isso, é melhor que sempre estejam lisos e totalmente uniformes no que respeita à sua espessura.

Além disso, uma superfície desigual pode fazer com que o disco bata numa das pastilhas de travão à medida que vai rodando, fazendo com que parte do material da almofadinha seja transferida para o rotor nesse ponto. Caso isso aconteça, sentirá vibrações ao travar, dado que a pinça bate nesse ponto do disco.

Incapacidade de parar rapidamente o veículo: caso observe uma maior distância de travagem, o mais provável é que haja desgastes das pastilhas e perda da eficácia dos travões. Isto representa um grave problema se necessitar de efetuar uma travagem de emergência.

Luzes de aviso acesas: talvez seja o indicador mais óbvio. A luz de aviso dos travões acesa no painel de instrumentos significa que algo não funciona. Com efeito, indica normalmente que o nível do líquido dos travões no sistema é insuficiente.

Cheira a queimado: um forte odor químico/queimado depois de ter conduzido em condições severas em estradas escarpadas é um sinal de que os travões ou a embraiagem se sobreaqueceram. O melhor que pode fazer neste caso é estacionar num lugar seguro, rever o travão de estacionamento para se certificar de que está totalmente libertado e deixar que os travões arrefeçam.

Se não o fizer, correrá o risco de o óleo dos travões se aquecer até à sua ebulição, o que poderá provocar falhas perigosas no sistema. Se notar a existência de fumo proveniente de alguma roda, tal pode-se dever a uma pinça de travão bloqueada e não deve continuar a circular antes de reparar a peça.

Lembre-se de que a melhor medida de segurança consiste em utilizar sempre um óleo de travões de qualidade e que satisfaça todos os requisitos do fabricante do seu veículo. Em próximos posts falar-lhe-emos sobre a substituição deste fluido e a forma de reagir se o sistema de travões falhar.

Partilha nas redes sociais:

0 comentarios

Também lhe pode interessar: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *