Porque é que os automóveis consomem óleo?

Porque é que os automóveis consomem óleo?

Fevereiro - 2018

Sabia que o estilo de condução e a conceção do motor influem na necessidade de se encher o cárter com óleo? A Total explica-lhe porquê.

Mesmo que a oficina tenha introduzido a quantidade adequada de óleo no automóvel na última revisão, o mais provável é que de vez em quando seja necessário enchê-lo. Porque é que isto acontece? Quais as causas desta perda de óleo? Porque é que retiramos a vareta e verificamos se o nível de lubrificante do automóvel está baixo, se nunca vemos poças por debaixo dele? Haverá duendes nas estradas que o levem?

A resposta é que o veículo não consome apenas combustível. Também consome óleo. Neste artigo explicar-lhe-emos, em traços largos, algumas causas que provocam este tipo de perda de óleo num automóvel.


Causas do consumo de óleo do motor

Em primeiro lugar, é importante que se esclareça que todos os veículos consomem óleo. Isto deve-se ao facto de o lubrificante entrar na câmara de combustão e se queimar juntamente com o combustível, pelo que de vez em quando é importante que se reveja o seu nível.

Mais concretamente, pode-se dizer que o consumo de óleo num automóvel se deve a duas causas principais: a conceção do motor, que é o que conduz o lubrificante dentro da câmara de combustível, e o próprio estilo de condução.


Forma como a conceção influi: combustão e saída de gases

Relativamente à forma como a conceção do veículo influi no consumo de óleo, aspeto sobre o qual apresentaremos mais detalhes em próximos artigos, convém que se tenha em conta que o lubrificante se move constantemente na zona situada à volta da câmara de combustão, o que faz com que acabe por entrar na mesma. Com efeito, a conceção do motor obriga o óleo a entrar, tanto na zona do pistão (segmentos, aros, camisa), como na zona das válvulas (assento, eixo, etc.).

Dependendo das folgas existentes entre as peças, entrará mais ou menos lubrificante. Como atualmente os motores apresentam folgas mais reduzidas, consomem menos óleo porque este roça mais nos componentes e tem mais dificuldade em chegar à câmara de combustão. Esta é mais uma das razões pelas quais é necessário trabalhar com óleos de qualidade e adequados a cada motor, dado que atualmente se recomendam óleos com graus SAE mais fluidos.

Sejam como forem as referidas folgas, sempre que o pistão chega ao ponto morto superior (máxima compressão do motor) uma certa quantidade de óleo acede à câmara de combustão e acaba por ser queimada.

No entanto, o óleo não desaparece do automóvel apenas por combustão. Também o faz por evaporação noutras zonas. Mais concretamente, o óleo que lubrifica a válvula de escape está submetido às altas temperaturas provocadas pelos próprios gases, o que provoca a sua degradação ou a sua evaporação.

Em resumo, todas estas condições fazem com que o automóvel consuma óleo, em alguns casos por combustão na câmara e noutros, na saída dos gases de escape.


Porque é que dois automóveis do mesmo modelo consomem mais ou menos óleo?

O consumo que definimos até agora é o inerente ao veículo, que depende da sua própria conceção. No entanto, por vezes nota-se que dois automóveis iguais consomem diferentes quantidades de lubrificante. Isto deve-se ao facto de estes dois veículos terem diferentes condutores, com diferentes estilos de condução.

Com cada expulsão de gases queimados da câmara de combustão, ocorre consumo de óleo na zona da válvula de saída de gases. Por isso, quanto maior for o número de rotações de funcionamento do motor, mais vezes ocorrerão essas expulsões e maior será a quantidade de lubrificante que o veículo consumirá.

Desta forma, pode-se concluir que o mistério do óleo que desaparece silenciosamente nos veículos depende do estilo de condução, dado que a velocidade e as rotações aumentam o consumo à medida que se elevam. Do mesmo modo, a própria conceção do automóvel influi neste aspeto, dado que o tamanho das folgas no motor levará a um maior ou menor consumo em funcionamento.

Num artigo mais adiante oferecer-lhe-emos mais detalhes técnicos sobre a influência da conceção no consumo de óleo, assim como os motivos pelos quais esse consumo num veículo pode variar.

Partilha nas redes sociais:

0 comentarios

Também lhe pode interessar: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *